Sign in to follow this  
Followers 0

EA111 turbo 460cv

46 posts in this topic

Posted

http://carros.uol.com.br/noticias/fullpower/2013/02/15/volkswagen-gol-ganha-preparacao-forte-e-chega-a-459-cv.htm

Bolei, não imaginava esse motor aguentando doiskiloemei na moral.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

mais o motor sempre foi bão o problema dele sempre é o mesmo....

PONTOS FRACOS

Com todos os equipamentos definidos, era chegada a hora de ver do que o pequeno EA 111 1.6 seria capaz. E no dinamômetro surge o primeiro "pênalti" do motor: a junta de cabeçote não suportou pressão de turbo acima de 1,5 kg. "Esse cabeçote é fraco neste quesito. Tive que mudar os prisioneiros e fazer anéis para vedar os cilindros"

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Num carro em que se multiplicou a potencia por 4, o minimo que se espera é trocar os parafusos de cabecote por ARP. Nao achei penalty nenhum, se nego quer turbinar carro sem gastar grana, vai viver cheio de penalty...

11 people like this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Melhor ainda ler os comentarios abaixo da materia :)

7 people like this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

459 cv a cerca de 5.800 rpm e 57 kgfm de torque, a quase 5.400 giros

o carro gira 7k ?

uma GT35 ate acordar neste 1.6 deve ser triste...

Edited by michel lima
1 person likes this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

459 cv a cerca de 5.800 rpm e 57 kgfm de torque, a quase 5.400 giros

o carro gira 7k ?

uma GT35 ate acordar neste 1.6 deve ser triste...

auhauha Pensei exatamente na mesma coisa, GT35 no 1.6, se o limite de giro tiver sido mantido deve ter ae uns 2000 rpm de alegria e ja acabou...

Mas acho q o intuito do projeto era esse mesmo, arrancar o máximo de potencia n importa como... vlw abcs.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

eu não teria saco nem $$ pra desenvolver um ea111 sabendo de todas as limitações q tem...

faria um swap de 1.8t forjado q ia rodar uma gt30, com menos pressão e ia ficar mais forte e mais usavel no daily

o cara falou q não queria voltar no passado, mas insistir em usar cabeçotes 8v, freios a tambor na traseira é oq?

Edited by ftajiri
13 people like this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

eu não teria saco nem $$ pra desenvolver um ea111 sabendo de todas as limitações q tem...

faria um swap de 1.8t forjado q ia rodar uma gt30, com menos pressão e ia ficar mais forte e mais usavel no daily

o cara falou q não queria voltar no passado, mas insistir em usar cabeçotes 8v, freios a tambor na traseira é oq?

Pena que nao posso curtir 10x seu comentario!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Num carro em que se multiplicou a potencia por 4, o minimo que se espera é trocar os parafusos de cabecote por ARP. Nao achei penalty nenhum, se nego quer turbinar carro sem gastar grana, vai viver cheio de penalty...

Dependendo do bloco pode trincar se usar ARP.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

pois é. se fosse EA111 originalmente, até podia ser

devia ter feito swap pro 1.8t

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Quais?

Num carro em que se multiplicou a potencia por 4, o minimo que se espera é trocar os parafusos de cabecote por ARP. Nao achei penalty nenhum, se nego quer turbinar carro sem gastar grana, vai viver cheio de penalty...

Dependendo do bloco pode trincar se usar ARP.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

quero ver videos no dino pelo menos.. eh muita coisa pra um 1.6 8v.. vai ser show se vir tudo isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

4 bicos de 80 + 4 de 160??? ele ta querendo rodar com .50 de sonda????

E essa turbina ae.... tb esta longe de ser a escolha ideal... tanto é q o carro ta batendo potencia e torque em giro baixo, com uma turbina q é pra empurrar até o corte em qualquer motor 4cil....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

é disso q to falando :mrgreen:

imagem178i.jpg

http://forum.streetsampa.com.br/viewtopic.php?t=40866

ou eu pegaria um polo 2.0 + forja+ diferencial gti+cabeçote 20v

4 people like this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Salles, vamos trocar o motor do golf no do Fox? Pau a pau?

:D

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Quais?

Num carro em que se multiplicou a potencia por 4, o minimo que se espera é trocar os parafusos de cabecote por ARP. Nao achei penalty nenhum, se nego quer turbinar carro sem gastar grana, vai viver cheio de penalty...

Dependendo do bloco pode trincar se usar ARP.

Qualquer um que não tenha "carne" suficiente para aguentar o torque a mais que os "desPreparadores" colocam:

crack.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

"Torque a mais" ou uso de ARP's?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

Bloco trincado como este não tem nada a ver com o uso de um determinado tipo de parafuso, isso tem cara de torque excessivo, o torque tem que ser o especificado pelo fabricante do motor mesmo sendo ARP.

O que diferencia os parafusos originais aos parafusos de materiais nobres é a resistência a tração (zona elástica menor e uma menor deformação) e resistência ao torque aplicado no parafuso, ou seja, ARP o outro fabricante de "parafusos nobres" por aguentarem maior torque aplicado o caboclo "chama" no braço (pois nem torquimetro deve usar) e acaba arrebentando o bloco principalmente de liga de aluminio.

Edited by ThiagoBarbosa

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

No caso o do ea111 é bloco de ferro fundido... O probRema é q os parafusos sao muito finos.... Particularmente nao faria um buraco maior pra enfiar prisioneiros maiores e depois deixar o bloco mais fino ainda q ja é...

Esse bloco fica mto bom feito aspirado vide os polo da super 1600 de rally q giram quase 9k e rendem mais de 200whp sendo 1.6 com cabeçote 16v.. Ja li em alguns lugares q esse cabeçote é baseado no do gol 1000 turbo... Nao sei se procede realmente, mas ja vi adaptações usando esse cabeçote.... Acho q tem refazer mta coisa a começar pelas camaras de compressão...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

No caso o do ea111 é bloco de ferro fundido... O probRema é q os parafusos sao muito finos.... Particularmente nao faria um buraco maior pra enfiar prisioneiros maiores e depois deixar o bloco mais fino ainda q ja é...

Esse bloco fica mto bom feito aspirado vide os polo da super 1600 de rally q giram quase 9k e rendem mais de 200whp sendo 1.6 com cabeçote 16v.. Ja li em alguns lugares q esse cabeçote é baseado no do gol 1000 turbo... Nao sei se procede realmente, mas ja vi adaptações usando esse cabeçote.... Acho q tem refazer mta coisa a começar pelas camaras de compressão...

Não, o cabeçote utilizado não é dos gol turbo 1000 e sim dos gol power, parati power 1.0 16v e tb dos 1.4 16v. Tem conhecido que colocou parafusos allen mais largos e não teve problemas nesses motores e a classe do tratamento térmico dos parafusos originais contribui para problema

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Esses dias fiquei pensando se os audi A1 podem ser stroked pra 1.6... :twisted:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Bloco trincado como este não tem nada a ver com o uso de um determinado tipo de parafuso, isso tem cara de torque excessivo, o torque tem que ser o especificado pelo fabricante do motor mesmo sendo ARP.

O que diferencia os parafusos originais aos parafusos de materiais nobres é a resistência a tração (zona elástica menor e uma menor deformação) e resistência ao torque aplicado no parafuso, ou seja, ARP o outro fabricante de "parafusos nobres" por aguentarem maior torque aplicado o caboclo "chama" no braço (pois nem torquimetro deve usar) e acaba arrebentando o bloco principalmente de liga de aluminio.

Thiago, eu concordo com você. O que eu queria dizer é que tem preparador que acha que o motor não vai cuspir junta só porque coloca ARP e manda ver no aperto. Um parafuso ARP tem um resistência a tração bem maior, só que não necessariamente o bloco vai aguentar.

Em resumo, não é porque se usa um prisioneiro ARP que vai ser possível resolver o problema.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

Isso mesmo Flavio! o preparador tem que respeitar o torque de aperto do fabricante do motor usando ARP ou não, aí chama no aperto e faz cagada, tb tem que levar em consideração que não só o parafuso faz com que a junta seja "cuspida" tem outras variáveis.

Abç

Edited by ThiagoBarbosa

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Justamente por isso perguntei "torque ou arp" la em cima. Nao faz sentido o uso de um parafuso NOVO, MAIS RESISTENTE QUE O ORIGINAL fazer um bloco trincar.

Agora, se nego aperta parafuso de cabecote a moda culha, tem mais eh que morrer cheio de penalties no projeto mesmo. Em pleno seculo 21 nego nao usa a porra do manual de servico pra apertar um parafuso

1 person likes this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

O que diferencia os parafusos originais aos parafusos de materiais nobres é a resistência a tração (zona elástica menor e uma menor deformação) e resistência ao torque aplicado no parafuso...

Ao contrário, zona elástica maior. Ou, no mínimo, de maior valor de pico. Parafusos de alta performance apresentam boa tenacidade, ou seja, boa resistência à tração aliada a boa ductilidade.

E claro, não custa lembrar que parafusos do cabeçote trabalham com aperto angular, ou seja, dentro da zona plástica. Logo eles devem ser substituidos a cada desmontagem.

E para quem falou em usar parafusos maiores (maior diâmetro), saibam que em juntas parafusadas quem manda na divisão de esforços entre as partes (no caso, bloco e cabeçote) e os parafusos é o comprimento do parafuso e não o diâmetro.

Se vc quer que o bloco/cabeçote receba a maior parte do esforço, use parafusos curtos. Se quer que o parafuso seja o elemento mais solicitado (é o que todo mundo quer), use parafusos mais longos.

E ai sim, diâmetro (secção efetiva), qualidade do metal e tipo de rosca vão ditar a resistência mecânica do elemento.

Quanto ao torque, não necessariamente usa-se os valores originais. O torque de aperto é função da solicitação sofrida pela junta. Ao mesmo tempo, é limitado pelas propriedades mecânicas dos elementos envolvidos. Ou seja, tem que perder um tempinho (bem pouco mesmo) pensando no que fazer, para evitar o que aconteceu na imagem que postaram.

Edited by Lyptus
1 person likes this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!


Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.


Sign In Now
Sign in to follow this  
Followers 0